Home / Destaques / Álbum da Copa do Mundo 2018

Álbum da Copa do Mundo 2018

Rodrigo Majolini

É sensação entre crianças e adultos

Com 682 espaços em brancos a se preencher, o álbum da Copa do Mundo 2018 foi lançado e tem muita gente disposto a completá-lo antes de junho. Crianças, jovens e adultos entraram nessa corrida contra o tempo à caça de suas figurinhas faltantes que, devido a grande popularização do álbum, não são difíceis de encontrar. Colecionadores de todas as cidades do país têm se reunido em locais públicos para facilitar suas trocas de repetidas – e até vendê-las para quem se interessar – , e em Itatiba não é nada diferente.
Assim como em outras edições do álbum, os itatibenses têm se reunido aos domingos de manhã na praça próximo ao fórum da cidade. Ali é o lugar exato para se desfazer das repetidas e garantir mais um bom número de espaços preenchidos. Exemplo disso é João Pedro Lopes, de 11 anos, que coleciona o álbum desde a edição de 2014 no Brasil, e marca presença com sua família para trocar suas figurinhas. “Pretendo completar o álbum trocando minhas repetidas, porque acho muito difícil só comprando os pacotinhos”, diz o menino acompanhado da tia Julia Pereira, que o leva nos dias de troca. Até o final dessa matéria, Julia contou que restavam apenas 70 figurinhas para que ele completasse o álbum. Ela, que também coleciona, revelou que pretende ajudar o sobrinho a concluir e depois querem comprar a edição de capa dura para também colecionar.
E quem disse que álbum de figurinha é coisa de menino? É coisa de menina também! A jovem Beatriz Denoni, de 20 anos, já garantiu seu exemplar e está se dedicando ao máximo para conseguir as figurinhas. Beatriz, que já colecionou outros álbuns antes, disse que prefere o da Copa porque todo mundo participa e acaba ficando bem mais fácil de completar. “Ainda falta em torno de 60% do álbum para eu completar, mas trocando com os amigos, que também estão colecionando, logo eu termino”, diz a jovem. Já a estudante Iohanna Cavalcanti, também de 20 anos, que completou mais da metade do álbum em apenas uma semana – conseguiu reunir 512 figurinhas em sete dias – afirma que pretende comprar algumas avulsas, vendidas por R$ 0,40 por alguns colecionadores. “Sempre gostei de colecionar álbuns de futebol de diferentes campeonatos. Coleciono desde os oito anos. Tenho completo todos desde a Copa de 2006, na Alemanha”, conta a jovem que, sem dúvida, quer ver a edição de 2018 concluída dentro de alguns dias.
Se tem espaço para crianças e jovens colecionarem os álbuns, nada mais justo do que os adultos também fazerem parte dessa paixão. Rodrigo Majolini, de 36 anos, que coleciona álbuns de campeonatos desde criança – e da Copa desde 2006 – é um deles. Questionado sobre o álbum, ele afirma que conhece pessoas até mais velhas do que ele que estão tão interessados em completar a coleção quanto as crianças. “Isso não tem idade. É para quem gosta mesmo de futebol”, diz. Rodrigo, que também vai à praça para trocar figurinhas, conta que vê outros adultos e isso é natural. “Às vezes pensamos que eles estão lá por causa dos filhos, mas, na verdade, quem está colecionando são eles”. O colecionador, que em sete dias conseguiu completar 382 espaços, diz que compra os pacotes duas vezes por semana e que pretende completar o álbum apenas trocando com outros colecionadores. “Há a possibilidade de comprar, mas eu não gosto disso. O legal é fazer a troca.”
Já deu para ver que colecionar álbum de figurinhas não tem idade nem gênero, basta querer e se enturmar com outros colecionadores para completar o mais rápido possível. Da edição de 2014 até a atual, o número de figurinhas para preencher aumentou de 640 para 682, mas isso não impediu ninguém de correr às bancas para garantir o álbum e torcer, até mais do que os jogos, para vê-lo completo com todos os jogadores. Para quem ainda não comprou, ainda dá tempo de se divertir.

 

Veja também

Inauguração Snooker Bar

No último dia 1, Itatiba teve mais uma inauguração super bacana. A praça de alimentação …

Deixe uma resposta