Home / Destaques / Brasileiros lideram ranking de preocupação com higiene, aponta pesquisa global

Brasileiros lideram ranking de preocupação com higiene, aponta pesquisa global

maos

Estudo encomendado pela SCA comparou as percepções da população sobre questões relacionadas à higiene em 13 países

Aspecto de grande relevância para os brasileiros, a higiene ocupa destaque como uma fonte de inquietações para as pessoas. De acordo com a pesquisa global Hygiene Matters, conduzida pela empresa sueca SCA, líder global em produtos florestais e de higiene, a população brasileira é a que mais se preocupa com o risco de contrair doenças devido à falta de higiene, em um ranking que incluiu 13 países. No total, 70% dos brasileiros que responderam à pesquisa afirmaram estar frequentemente preocupados com a chance de adoecer em função de higiene precária.

Em sua quarta edição, o estudo Hygiene Matters avaliou a opinião de 13.492 pessoas, sendo aproximadamente 1000 em cada um dos 13 países. As entrevistas foram realizadas online durante o mês de maio de 2014. Um dos objetivos da pesquisa é conscientizar o público sobre a relação entre higiene, saúde e bem-estar.

O México ficou em segundo lugar no ranking de preocupação com a falta de higiene, com 61%, seguido pela China e África do Sul, com 56% e 53% respectivamente. Já em países como Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e Itália, os índices ficaram entre 16% e 20%, e as taxas mais baixas foram registradas na Holanda, 9%, e Suécia, 8%.

O receio com a higiene precária em locais públicos como banheiros, transportes públicos (trens, ônibus, metrô) e restaurantes faz com que quatro em cada cinco brasileiros prefira não utilizar algumas dessas instalações. Entre os lugares apontados como de maior risco à saúde devido à higiene precária, 75% dos brasileiros apontaram os banheiros públicos, 65% mencionaram os hospitais e 52% os transportes públicos. Além disso, 63% disseram sentir-se incomodados com a falta de higiene de outras pessoas nos transportes públicos.

Uma parte dos brasileiros (28%) julga que não lava as mãos suficientemente. Esse número cresce para 38% em jovens entre 16 e 25 anos. Entretanto, a preocupação é maior em relação à higiene alheia: 90% dos brasileiros acham que os outros não lavam suas mãos com a frequência que deveriam.

A pesquisa mostrou que cada país tem uma percepção diferente sobre o que deveria ser feito para elevar os padrões de higiene. Enquanto 39% dos brasileiros apontam como principal medida fornecer mais informação e educação para as pessoas, 48% dos americanos afirmam que cada indivíduo precisa melhorar sua higiene pessoal. De outro lado, 44% dos chineses colocam no governo a maior responsabilidade pelo aumento dos índices de higiene no país.

Via: S2Publicom Comunicação Integrada

Veja também

Melhor Estudante da Escola Pública é da EMEB Vera Lúcia

No dia 21 de novembro, Prefeitura de Itaitba e Rotary Club anunciaram o vencedor do …

Deixe uma resposta