Home / Destaques / Crescimento do número de brasileiros acima do peso tem relação com proibição dos inibidores de apetite, acredita ABRAN

Crescimento do número de brasileiros acima do peso tem relação com proibição dos inibidores de apetite, acredita ABRAN

Comitê científico da Associação Brasileira de Nutrologia reforça importância do tratamento medicamentoso para obesidade

O número de brasileiros com excesso de peso voltou a crescer, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Para o médico nutrólogo e presidente da Associação Brasileira de Nutrologia, Dr. Durval Ribas Filho, esse aumento está relacionado também à proibição dos medicamentos inibidores de apetite. “Nós já prevíamos que a proibição dos remédios influenciaria esse avanço vertiginoso do excesso de peso, e acreditamos que, em breve, o número de obesos também vá aumentar”, pontua o médico nutrólogo. Novos agentes farmacológicos antiobesidade estão disponíveis nos Estados Unidos, mas, infelizmente, no Brasil ainda não. “Esse recurso farmacológico terapêutico certamente poderia minimizar o impacto das comorbidades associadas à obesidade como hipertensão arterial e diabetes mellitus, principalmente.”

Os dados da Vigitel, pesquisa que monitora os hábitos e fatores de risco para a saúde, mostram que mais da metade dos brasileiros estão acima do peso. Segundo o médico nutrólogo e diretor da ABRAN, Dr. Paulo César Giorelli, o sobrepeso é o primeiro passo para o paciente desenvolver a obesidade e, por isso, a situação é perigosa. “A pessoa com excesso de peso hoje é o obeso de amanhã, e precisa tratar a doença de forma correta, muitas vezes com medicamentos”, afirma o Dr. Giorelli.

Pessoas com excesso de peso são aquelas com IMC (índice de massa corporal) entre 25 e 29,9. Já as pessoas com o IMC acima de 30 podem ser consideras obesas. “O aumento de peso de uma pessoa com IMC acima de 25 para um IMC acima de 30 pode ser muito rápido, então temos que tratar esse crescimento como mais um alerta de que precisamos ter todas as formas de tratamento disponíveis aos nossos pacientes”, explica o Dr. Ribas. Hoje a obesidade é uma doença que atinge 17,9% da população e já é considerada uma epidemia global.

No Brasil, há ainda em curso um debate em torno dos inibidores de apetite. Mesmo aprovado o decreto que libera sua comercialização, os produtos ainda não estão à disposição da população. Para o Dr. Giorelli, o aumento do número de pessoas com sobrepeso deve ser levado em consideração. “A falta dos medicamentos impede o tratamento correto e faz com que o número de obesos também sofra um crescimento”, explica.

A pesquisa divulgada pelo Ministério da Saúde também indica que o brasileiro está se exercitando mais, com um aumento de 18% nos últimos seis anos. 35,3% dos entrevistados disseram dedicar pelo menos 150 minutos de seu tempo livre na semana com exercícios (período recomendado pela Organização Mundial da Saúde). “Esses dados são positivos, mas também comprovam que nem sempre uma reeducação alimentar e exercícios constantes podem ser a solução para acabar com a obesidade. Nossa experiência prova que a obesidade é uma doença e os pacientes precisam do tratamento adequado, mesmo que ele seja através de medicação controlada”, lembra o presidente da Associação.

Sobre a ABRAN

A ABRAN é uma entidade médica científica reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina. Fundada em 1973, dedica-se ao estudo de nutrientes dos alimentos, decisivos na prevenção, no diagnóstico e no tratamento da maior parte das doenças que afetam o ser humano, a maior parte de origem nutricional. Reúne mais de 3.800 médicos nutrólogos associados, que atuam no desenvolvimento e atualização científica em prol do bem estar nutricional, físico, social e mental da população. Visite www.abran.org.br e curta a ABRAN no Facebook www.facebook.com/nutrologos

Veja também

Evento Polo Casa Vip

Um grupo de 21 empresários teve uma ótima iniciativa e montou um polo com diversos …

Deixe uma resposta