Home / Destaques / Itatiba vai se unir em prol da conscientização sobre o autismo

Itatiba vai se unir em prol da conscientização sobre o autismo

autismo

A partir desta quarta-feira, dia 1 de abril, a Prefeitura vai iluminar alguns prédios públicos de azul. O objetivo é chamar a atenção da população para um tema muito importante: o autismo. A ação faz parte de uma mobilização em torno do Dia Mundial de Conscientização do Autismo – 2 de abril. “A Prefeitura oferece apoio a essas pessoas especiais e suas famílias, seja em parceria com a Apae, na rede de saúde ou na rede de ensino, mas a família é quem melhor tem condições de identificar possíveis casos. Para quem não conhece, a data é um momento de se informar, de trazer à tona informações do autismo para que seja desmistificado”, lembra o Prefeito João Fattori.

Durante todo o mês de abril, o totem localizado na entrada da cidade para quem vem de Jundiaí, o Centro de Capacitação Solidária (Paço Municipal ‘Prefeito Roberto Arantes Lanhoso), o Centro Administrativo ‘Prefeito Ettore Consoline’ e o Coreto da Praça da Bandeira estarão iluminados de azul. Além da iluminação desses quatro pontos, no Dia de Conscientização do Autismo os alunos da rede municipal de ensino receberão uma cartinha para ser levada ao conhecimento dos pais explicando as características de uma criança com autismo e incentivando a inclusão social. Também será proposta uma atividade especial nas escolas da rede municipal.

Vamos todos vestir azul e se informar sobre o assunto
Comércios, empresas, igrejas, entidades e até mesmo particulares estão convidados a participar desta mobilização. “É importante a Prefeitura e a cidade se envolverem nessa causa, pois ajuda na conscientização geral da população sobre o tema e, principalmente, na quebra do preconceito que ainda existe. Com pequenas ações podemos levar a população informações sobre o que é o autismo, sintomas, tratamentos e especialmente a questão do diagnóstico precoce, pois quanto mais cedo diagnosticado mais chances da criança se desenvolver. A cor azul é a cor que simboliza o autismo, sendo assim os principais monumentos e prédios da cidade estarem iluminados de azul com certeza chamarão a atenção para a nossa causa”, diz Alisson Giovani Netto, 39 anos, Jardim Ipê, que faz parte de um grupo de pais de autistas.

Além disso, a Prefeitura de Itatiba convida a todos para usarem a cor azul nos próximos dias 1 e 2 de abril, assim como se informar sobre o autismo e repassar os conhecimentos a amigos e familiares. A ideia é criar uma ação de desmistificação do assunto, melhorando o entendimento social dos comportamentos dos autistas, podendo oferecer apoio a familiares e amigos.

Prefeitura preparada para atendimentos
A Prefeitura está preparada para atender crianças com autismo. Quando um professor percebe em sala de aula alguma dificuldade de aprendizado ou comportamento diferente, repassa ao diretor a necessidade de um atendimento especializado e este encaminha o aluno ao Caepi (Centro de Atenção Educacional, Psicossocial e Inclusiva de Itatiba).

Lá, o aluno é atendido por uma equipe formada por psicopedagogo, fonoaudiólogo, assistente social, fisioterapeuta e psicólogo. Caso seja necessário um diagnóstico mais preciso, o aluno é direcionado à Apae ou a um neurologista, que poderá proporcionar um diagnóstico. O mesmo acontece na rede de saúde.

O autismo faz parte de um grupo de desordens do cérebro chamado de transtorno invasivo do desenvolvimento (TID) – também conhecido como transtorno global do desenvolvimento (TGD). Para muitos, o autismo remete à imagem dos casos mais graves, mas há vários níveis dentro do espectro autista. Em Itatiba, os casos mais leves seguem seus estudos na rede municipal, onde são acompanhados por profissionais capacitados. Além disso, o CAC (Centro de Atenção à Criança de Itatiba) conta com um grupo para pais de crianças autistas até 11 anos, garantindo o apoio ao paciente e seus familiares.

Criação do dia
O Dia Mundial de Conscientização do Autismo (World Autism Awareness Day) foi criado em 2008 pela Organização das Nações Unidas (ONU), chamando a atenção para a importância de conhecer e tratar o transtorno que atinge mais de 2 milhões de brasileiros, segundo dados da própria organização. O objetivo é levar o assunto para a sociedade, desmistificando o autismo e oferecendo apoio à familiares, que muitas vezes sofrem com a falta de conhecimentos sobre a doença e com a falta de compreensão da comunidade.

De acordo com a ONU, o transtorno do espectro autista (nome oficial do autismo) é mais comum em crianças que Aids, câncer e diabetes juntos. A incidência em meninos é maior, tendo uma relação de quatro meninos para uma menina com autismo. Muitas pesquisas ao redor do mundo tentam descobrir causas, intervenções mais eficazes e a cura para o autismo. Tão importante quanto descobrir a cura, é permitir que os autistas de hoje sejam incluídos na sociedade e tenham mais qualidade de vida e respeito.

Veja também

Evento Polo Casa Vip

Um grupo de 21 empresários teve uma ótima iniciativa e montou um polo com diversos …

Deixe uma resposta