Home / Casa & Decoração / Marcelo Rosenbaum fala sobre o Design Essencial

Marcelo Rosenbaum fala sobre o Design Essencial

Por Juliana Rangel

Atual apresentador do Programa Decora, do canal GNT e do quadro Lar Doce Lar, do Caldeirão do Huck, na TV Globo, Marcelo Rosenbaum atua há mais de 20 anos no escritório Rosenbaum®.

Através da cultura das pessoas e do local, Rosenbaum cria designs diferenciados, práticos e inovadores. A seguir você saberá mais sobre os projetos sociais que movem o arquiteto e designer.

Q: Conte-nos um pouco sobre o projeto Design Útil. De onde surgiu a ideia de através do seu trabalho transformar novas oportunidades para comunidades e ajudar projetos sociais?

Marcelo Rosenbaum: A partir da minha experiência criativa com comunidades, imersões, processos de cocriação e desenho de propósitos e mudanças sociais, evoluímos o conceito do Design Útil para a metodologia do Design Essencial que surgiu dentro do projeto A Gente Transforma que acontece em comunidades brasileiras. Design Essencial vem despertar uma cultura de inovação através do design como um processo que usa o potencial do ser humano para remodelar as relações e gerar resultados que impactam e transformam. O design do Design Essencial é a transcendência do objeto, é um processo. Um processo onde o design é lido como desígnio ou propósito e o motivo de existência de uma peça ou um projeto criativo deixa de ser individual, passa a ser coletivo por ser essencial e serve ao que é melhor para todos.

Projeto 'A Gente Transforma' / Foto: Tatiana Cardeal
Projeto ‘A Gente Transforma’ / Foto: Tatiana Cardeal

Q: Conte-nos mais sobre seu conceito de design.

Rosenbaum: É o Design Essencial, por ser definido como a capacidade de olhar para uma cultura, descobrir, despertar e potencializar seus valores essenciais, traduzindo-os em conceitos que, através da ferramenta de beleza e estética universal chamada Design, tornam-se agentes de transformação do mundo. No Design Essencial, mais útil do que a autoria é a potencialidade do design em benefício do todo. Descobrir significa identificar através da observação e da auto-observação as possibilidades criativas da cultura da comunidade, o seu valor essencial, muitas vezes em esquecimento. Despertar significa compartilhar a criação de forma que ela venha a representar os valores essenciais de uma cultura e estar a serviço do coletivo. Potencializar significa reposicionar os saberes tradicionais de uma comunidade no mercado do design e da decoração, levando para o mundo e trazendo a consciência, o saber e as tradições intrínsecas, beneficiando de forma compartilhada a todos.

Q: Lar doce Lar foi uma oportunidade para começar a trabalhar com pessoas de baixa renda? Como é essa experiência que tem no programa Caldeirão do Huck e o grau de dificuldade de reestruturar uma casa em péssimas condições?

Rosenbaum: Claro que encontramos famílias em condições precárias de moradias, mas sempre vi nelas mais do que isso. Via pessoas com potenciais e possibilidades que muitas vezes estavam soterrados. Então a partir de suas histórias, puxávamos através dos projetos a identidade que revelava a própria beleza ali presente nas histórias daquelas famílias. Nunca acreditei na ideia de necessitados. Não há necessitados, todos têm seus potenciais individuais e coletivos.

Q: Você acredita que através do design consiga abrir portas para uma melhor educação e até mesmo, um futuro melhor para quem mais precisa?

Rosenbaum: O design como processo consegue incluir e despertar os saberes e a essência de cada um na construção de caminhos criativos que resultam em conceitos, produtos e projetos que despertem autoestima e consciência. Todos precisam disso. O design pode ser uma ferramenta muito útil nesse sentido.

Veja também

Encontro de Carros Antigos de Itatiba

No dia 20 de Agosto acontecerá mais uma edição do tradicional Encontro de Carros Antigos …

Deixe uma resposta