Home / Casa & Decoração / O rústico na arquitetura moderna

O rústico na arquitetura moderna

Seriam o rústico e o moderno opostos na arquitetura? “Estilos” que não podem coexistir em um mesmo espaço? Engana-se quem pensa que uma casa moderna o é quando nada possui de rústico. Já foi citado em artigo anterior que o estilo moderno está mais ligado à forma de viver do homem de hoje do que às formas da arquitetura em si, sendo que esta apenas traduz, possibilita e facilita seu cotidiano agitado. O rústico pode então, certamente, estar presente em um ambiente dito moderno, pontuado em determinados elementos.

O rústico e o moderno juntos tem sido alguns dos pedidos crescentes para projetos no escritório: a esposa gosta do moderno e o marido do rústico, ou vice e versa. Mas como unir de fato dois “estilos”, mais propriamente “características”, que parecem se opor?

Há diversas formas de atrelar essas características, e uma delas é através do uso de materiais diferenciados e combinados entre si, por exemplo madeira e concreto, ou vidro e trama de bambu. Também a rusticidade dos materiais empregados, mesmo que “modernos”, pode conferir maior identidade rústica aos ambientes, como acontece com o concreto desempenado sem acabamento, aquele em que parecem ser tiras de madeira no concreto (efeito que se consegue pelas fôrmas utilizadas na sua criação).

Ainda em relação aos materiais, os revestimentos de madeira, tijolos, tons variados de marrons, materiais sem polimento ou brilho, entre outros, são alguns dos artifícios que também podem ser empregados para a criação deste espaço.

Outra forma de trazer aspecto mais rústico é a utilização de uma iluminação mais indireta, dramática e pontual, com cores mais quentes e marcando determinados acabamentos como tijolos, pedras ou madeiras. Um bom projeto de iluminação valoriza muito o efeito do rústico, aliás um bom projeto de iluminação valoriza qualquer outro projeto.

Também, a utilização de objetos e mobiliários, modernos e rústicos combinados entre si e na dose certa, auxiliam na conformação de um espaço rústico-moderno. O segredo está justamente na escolha e proporção dos elementos a ser utilizados.

Além disso, a vegetação circundante do espaço também pode propiciar a união do moderno com o rústico. Um paisagismo menos ordenado, com espécies nativas e que pareçam ter simplesmente surgido junto à casa com certeza agregará maior rusticidade ao local.

Um espaço que exemplifica essa forma de se utilizar a vegetação é o parque linear de Nova York, o Highline, instalado em uma via férrea elevada ao lado oeste de Manhattan, no qual os arquitetos definiram que a vegetação a ser utilizada seria aquela que já existia no local, a qual surgiu ali espontaneamente após a desativação do trem. Há quem acredite que a “grama não foi cortada” sem notar que na verdade este é o conceito central daquele projeto, a rusticidade da vegetação consolidada no meio da grande cidade de concreto.

Enfim, são variadas as formas de atrelar rusticidade aos espaços, cabendo então à criatividade dos arquitetos e designers de interiores bem como aos gostos de seus clientes o aspecto final do ambiente, tanto para torná-lo mais rústico quanto para deixá-lo com as características que se queiram.

Onde encontrar:

Giovana Feres
Arquiteta e Urbanista
Rua Piza e Almeida, 452, SL11, Ed. Office Tower, Centro, Itatiba/SP
gsferes@gmail.com

Veja também

Prefeitura de Itatiba prepara Censo Animal inédito

Com o objetivo de traçar o perfil dos animais domésticos existentes em Itatiba a Prefeitura …

Deixe uma resposta