Home / Capa / Péricles afirma que o samba é um instrumento de cultura imbatível

Péricles afirma que o samba é um instrumento de cultura imbatível

Por Juliana Rangel

Nascido em Santo André, Péricles, um dos nomes mais conhecidos entre sambistas e compositores desde os anos 90, vive um momento todo seu. Há três anos em carreira solo, já está em seu terceiro álbum e considera o atual, ‘Feito pra Durar’, memorável.

Seu primeiro contato com a música foi ainda criança, quando frequentava comunidades de jovens das igrejas católicas, onde participava de festivais nas dioceses. Ainda bem que ele não parou mais!

Péricles trabalhou em diversas profissões e participou de alguns grupos, até que, em 1986 integrou a banda Exaltasamba, onde foi um dos fundadores. Foram 26 anos de banda conquistando uma legião de fãs apelidados de Exaltamaníacos, lançando 15 CDs, 4 DVDs, com mais de 15 milhões de discos vendidos e viagens com os seus shows por todo o Brasil.

O Exalta se separou em junho de 2011, mas a união e amizade permanece a mesma. Péricles conta que os ex-integrantes se veem quase semanalmente e fala sobre o carinho imenso que sente por todos. “(…) tudo o que vivemos juntos no Exaltasamba foi e será para sempre maravilhoso”.

Em maio de 2012, Péricles alçou voo solo e gravou o seu CD e DVD ‘Sensações’ lançado pela Som Livre. No ano seguinte, lançou um álbum em homenagem ao Pagode dos Anos 90: ‘Nos Arcos da Lapa, onde apresenta além de ícones do pagode, músicas inéditas. Agora está com seu mais recente álbum ‘Feito Pra Durar’ e uma das faixas é a regravação de Ave Maria, de Schubert; emoção do início ao fim.

O cantor participou da Dança dos Famosos, do Domingão do Faustão, esbanjando simpatia e carisma em 2012 e faz parte do elenco do Programa Esquenta, apresentado pela Regina Casé, há três anos.

Não é à toa que há anos ele vem conquistando uma legião de fãs e não sai do coração dos brasileiros.

Confira a seguir um pouco mais sobre o cantor na entrevista que ele concedeu à Q Revista:

 

Q Revista: Foram 26 anos ao lado do Exaltasamba e agora você está no seu terceiro ano fazendo trabalhos solo. O que sente mais falta?

Péricles: Eu creio que o que sinta mais falta seria da convivência diária com os demais componentes, e eu digo “seria”, pois nos vemos sempre que possível, quase que semanalmente. Mas tudo o que vivemos juntos no Exaltasamba foi e será para sempre maravilhoso.

 

QR: Os anos 90 foram o grande momento do samba e do pagode, mas ainda hoje você considera que temos bandas que se comparem aos grupos desta época?

Péricles: De tempos em tempos vemos mudanças no cenário musical de uma forma geral, mas falando do Samba, tivemos nos anos 90 uma gama de grupos e artistas muito talentosos, e hoje vemos a vez dos cantores solo, como Leandro Sapucahy, Mumuzinho, Ferrugem, Dilsinho, Thiaguinho, Helen Caroline, Ana Clara, Arlindo Cruz, Lucas Morato, entre outros.

 

QR: A sua rotina mudou muito após engatar carreira solo?

Péricles: Minha rotina de vida mudou muito desde que ingressei em carreira solo. Trabalho pelo menos duas vezes mais do que na época do Exalta. Corro mais, mas tenho maior autonomia sobre meu trabalho.

 

QR: Você está há anos no cenário musical, com fãs que te acompanham desde o início da carreira. Como se sente com isso e a que atribui esse sucesso?

Péricles: Eu procuro levar a minha vida o mais normal possível, mas me assusto a cada abordagem, cada manifestação de carinho. Gosto muito do carinho que recebo das pessoas e atribuo isso ao som que fazemos, e ao carinho que procuro retribuir, além das aparições na Dança dos Famosos e no dominical Esquenta.

 

QR: Quais as suas principais influências musicais?

Péricles: Minha influência musical é a música brasileira, mas sempre juntei tudo o que ouço da música de todo o mundo, de Salsa a Black Music, de Forró a Valsa.

 

QR: No seu álbum Nos Arcos da Lapa, você homenageia grupos essenciais ao crescimento do pagode no país. De onde surgiu a ideia de fazer essa homenagem? Sempre teve essa vontade?

Péricles: Sempre tive a vontade de homenagear aos meus contemporâneos dos anos 90 e vi no DVD Arcos da Lapa a chance de realizar esse desejo. Com as músicas mais pontuais, conseguimos homenagear a todos. Ao menos espero ter conseguido.

 

QR: Você acredita que ritmos como pagode, funk e rap estão cada vez mais sendo desmarginalizados?

Péricles: Tanto acredito como acompanho o crescimento desses segmentos nas trilhas sonoras de novelas, filmes, programas de TV abertas ou por assinatura. A desmarginalização dos ritmos citados torna o brasileiro menos preconceituoso em relação a si próprio e aos seus semelhantes.

 

QR: Qual a importância do samba no cenário musical brasileiro?

Péricles: Vejo o Samba como um instrumento de cultura imbatível, além de termômetro de costumes como moda, gírias e afins.

 

QR: A turnê ‘A gente faz a festa’, ao lado de Chrigor e Thiaguinho, deu tão certo que repetirão este ano. Como foi a experiência de reunir grandes amigos e ex-vocalistas do Exalta?

Péricles: “A Gente faz a Festa” é um evento que, para cada um de nós, tem uma carga emocional muito grande. Conseguimos rever os amigos, cantamos com nossos filhos (Chrigor já cantou com seus 3 filhos), isso sem contar a emoção contagiante de cantar para os Exaltamaníacos que vêm de longe prestigiar o evento. Vamos repetir a dose em 2016, começando em 22/12/2015.

 

QR: Além de cantor, você também é um grande compositor. De onde vem a inspiração para compor? Você se considera um cara romântico?

Péricles: Eu gosto de compor sobre as coisas do cotidiano, minhas histórias ou as histórias ao meu redor, e me considero um cara, mesmo que às vezes introspectivo, um romântico incorrigível.

 

QR: Você faz parte do elenco do Programa Esquenta, da Regina Casé. Conte-nos um pouco sobre essa experiência e como é o ambiente de gravação.

Péricles: Faço parte do programa Esquenta há 3 anos e me sinto realizado, pois tenho a sensação de fazer parte de um grande time, uma grande família. O clima da gravação é exatamente igual a uma festa na casa da gente, onde falamos de tudo, da maneira mais leve para todos. Me sinto acolhido por todos.

 

QR: Fale um pouco sobre o seu novo álbum, “Feito Pra Durar”.

Péricles: Nosso terceiro CD, chamado “Feito pra Durar”, é, em minha opinião, o trabalho que mais exigiu empenho da minha parte. Estudei mais, corri mais para pesquisar sobre uma maneira melhor de cantar, recebi canções lindas de muita gente boa que está escrevendo muito bem, regravamos Ave Maria, de Schubert, que ficou maravilhosa na nossa versão, enfim, um CD memorável.

 

QR: Quais seus planos para 2016?

Péricles: Espero em 2016 continuar curtindo os projetos já iniciados, levar nosso som a todos os lugares do Brasil e, quem sabe, levar nossa música além das nossas fronteiras.

Veja também

Evento Polo Casa Vip

Um grupo de 21 empresários teve uma ótima iniciativa e montou um polo com diversos …

Deixe uma resposta