Home / Destaques / Santa Casa de Misericórdia de Itatiba, Nossa História
Beneditto Netto - Provedor da Santa Casa

Santa Casa de Misericórdia de Itatiba, Nossa História

Com a emancipação de Itatiba em 1857, a cidade, apesar do grande desenvolvimento urbano e econômico, estava carente de um hospital que desse assistência a sua população dentro das normas exigidas pelo progresso da época. Os doentes eram tratados em casa pelos primeiros médicos Dr. Gabriel de Toledo Piza e Almeida, Dr. Alfredo Perroud, Dr. Vicente Logato e Dr. João dos Santos Rangel (genro do Capitão Antônio Ferraz Costa).
Com a finalidade de criar um hospital de caridade em Itatiba o Tenente Coronel Francisco Rodrigues Barbosa -“Chico Peroba”- reuniu os mais influentes comerciantes e fazendeiros, Tenente-Coronel Francisco Rodrigues Barbosa, Capitão Antônio Ferraz Costa, Capitão Dr. Alfredo Perroud, Dr. J.J. Carvalho Filho, Estanislau José Soares, Benedito Leite de Paula e Ambrósio Dolce, e assim nasceu a Santa Casa de Misericórdia de Itatiba. O dia era 01 de janeiro e o ano 1899, 118 anos, assim nos conta seu Provedor Comendador Beneditto Netto, ou Netto como é conhecido.
O hospital foi instalado na casa que pertencia à dona Francisca L. de Godoy, no Largo da Matriz. Logo depois, passou a funcionar na rua Campos Sales, na casa da família Joly. Depois passou para a Rua da Ponte, nº 42 e 43 (atual Rua Comendador Franco, Nº 304), na atual sede da Corporação Musical Santa Cecília, mas em 20 de junho de 1901, com a verba dos fazendeiros a Santa Casa adquiriu o edifício.
Já no século XX Itatiba prosperou ainda mais e sua população cresceu junto com o progresso, viu-se então a necessidade de uma nova sede para atender a grande demanda da população uma vez que muitos enfermos estavam sendo transferidos para outras cidades, por falta de leito, a sala de cirurgia era precária, toda essa situação gerava vergonha para a cidade e seus cidadãos. Vendo essa necessidade Dr. Pimenta começou a modernizar o hospital trazendo novos equipamentos, melhorou o atendimento dos enfermos, trocou estoques de medicamentos e consertou mobiliário.
No ano de 1919 Dr. Pimenta idealizou a construção de um novo edifício para a Santa Casa, maior, mais moderno e que atendesse melhor a população. No ano de 1922, ano do centenário da independência do Brasil, a sede, também própria, passou a ser na Avenida da Saudade e continua até hoje sempre com mudanças e melhorias. A doação do terreno foi feita pelo Sr. Luis Simione, cerca de 7 mil metros de área.
A família Scavone, representada pelo empresário Luís Scavone, foi de grande importância para a Santa Casa, pois fez muitas doações, tais como a Capela de São Carlos Borromeu, o “Pavilhão D. Rosa Perrone Scavone”, “Pavilhão Rosa Sálvia Scavone” (Sala de curativos e de esterilização), e a instalação de Serviços Radiológicos.
Em 1947 o Dr. Luis de Mattos Pimenta veio a falecer para o pesar dos itatibenses e em seu lugar ficou Dr. Ramiro de Araújo Filho.
Outra doação, mas essa do Senador Paulo Abreu, foi a Maternidade Ana Abreu em novembro de 1951.

Santa Casa antes das reformas

Vamos passar um pouco os anos e chegar ao ano de 1992, onde o atual Provedor Comendador Benedito Netto, foi convidado pela Sra. Regina Scavone para ser mesário na Santa Casa, dessa forma teve a oportunidade de observar de perto como a diretoria executava seu trabalho e assim aprender como eram feitas as negociações, administração e gerenciamento.
Na época o Presidente era o Bertase (Luis Carlos Bertase) que solicitou ao Netto que o representasse em uma reunião com os médicos que estavam reivindicando o pagamento dos salários atrasados. Na época a instituição devia cerca de R$70.000 em repasses. Caso o pagamento não ocorresse os médicos do Convênio Santa Casa Saúde, estavam ameaçando paralisar seus serviços no prazo de dois dias. Essa reunião aconteceu no dia 28/07/1996. Netto, sem comunicar, foi ao Banco do Brasil e solicitou um empréstimo pessoal no valor de R$70.000 para conseguir sanar as dívidas e continuar com os atendimentos. Os fiadores foram dois voluntários da Santa Casa, Maria de Lurdes Oliveira e Vicente de Jorge Carames e sua esposa.
Dia 13 de agosto do mesmo ano o então Presidente pediu demissão e quem assumiu foi Netto. Quando assumiu, ao levantar as dívidas, ficou surpreso ao constatar que o valor real era de R$ 495.000,00 e não de R$ 70.000,00, esse último era apenas o repasse dos médicos. Assim começou a dura tarefa de organizar a parte administrativa. As dívidas com os credores foram negociadas. E o plano de saúde próprio da Santa Casa: o Santa Casa Saúde foi renegociado. Na época as empresas pagavam ao hospital o valor de R$8,32 por vida, mas o custo só de um único paciente atendido pelo plano na época era de R$17.500,00. Com uma árdua negociação chegaram a R$20,50 pagando o valor retroativo a maio daquele ano. A partir daí a Santa Casa, tendo como pilar o seu plano de saúde próprio parou de dar déficit e passou a ser autossustentável.
Em 1997 o prefeito eleito assumiu a prefeitura e a princípio essa nova administração daria uma subvenção de até R$255.000 mês, a diretoria da Santa Casa ficou esperançosa, pois a antiga administração repassava apenas R$12.000,00 mês. No entanto o prefeito queria que uma comissão administrasse o Hospital. Houve uma divergência entre a diretoria da Santa Casa e a nova comissão levando Netto a se demitir no dia 10/10/1997, depois de 14 meses à frente da Santa Casa e com todas as dívidas pagas, com isso toda a diretoria também se demitiu.
“Foram 39 meses de má administração da prefeitura da época. Após o termino do mandato, no ano de 2000, o então Secretário da Saúde Dr. João Batista Chaves e o Prefeito José Roberto Fumach solicitaram que eu voltasse à frente da Santa Casa e reorganizasse novamente todo o hospital. Quando se afastou em 1997, a Santa Casa pagava o metro cúbico do oxigênio a R$1,10, quando voltou o valor estava em R$3,98. As dívidas estavam em mais de R$3.500.000,00, com 68 protestos em cartório, as vidas do convênio Santa Casa Saúde haviam sido vendidas para a Unimed Jundiaí, e nunca nos foi esclarecido qual o valor negociado. Voltamos à estaca zero e todas as negociações foram iniciadas. Trabalhava das 8h às 22h, foi uma época muito difícil, mas conseguimos organizar a situação.” Finaliza Sr. Dito Netto.

Santa Casa antes e depois das reformas

Dessa forma chega ao fim essa primeira fase da administração de Netto, com um intervalo de 39 meses e seu reinício em 2001. Leitor, nós da Q Revista, gostaríamos de fazer um convite, em nossa próxima edição continuaremos contando a história da Santa Casa, com suas ampliações, envolvimentos políticos e as benfeitorias que tem feito em Itatiba, continue nos acompanhando, pois temos muitas histórias para contar. Até a próxima edição.

Para saber mais:

Santa Casa de Misericórdia de Itatiba
Avenida da Saudade, 43 – Centro
CEP 13.253-900 – Itatiba/SP
Fone: (11) 4894-8899 Fax: (11) 4487-7504

Veja também

Festa Q Hollywood – Cobertura Padovani Fotografias

Confira as fotos incríveis que nosso fotógrafo fez da festa Q Hollywood, que aconteceu no …

Deixe uma resposta