Encontre empresas, produtos e entretenimento


Categoria: Cultura
Cultura e Turismo de Itatiba fomentam a cidade
08/04/2020   Cultura
 Postado por:   QRevista
Desde a certificação de Itatiba como município de interesse turístico (MIT), uma série de ações passaram a acontecer em nossa cidade, movimentando a economia e gerando novas oportunidades.

Em pouco tempo, a Secretaria de Cultura e Turismo da Prefeitura Municipal de Itatiba mostrou grandes avanços que melhoraram a identidade cultural e turística da cidade. O que temos visto, desde então, é um trabalho bastante sério e comprometido por parte da municipalidade em desenvolver ações específicas, estudos de viabilidade, diálogos e parcerias com especialistas, resultando em um grande plano de trabalho.
À frente dos trabalhos e da gestão da Cultura e Turismo está o Secretário Washington Bortolossi, que também participa ativamente como membro do CONDEPACHTI e do COMTUR.

“Elaborar um Plano Diretor para o Turismo de Itatiba, para então pleitear o reconhecimento como MIT, e através disso buscar recursos e propor iniciativas para desenvolver o turismo local, foi um grande desafio. Da mesma forma, tínhamos a necessidade de nos fortalecer diante de nossa cultura, resgatar valores, preservar nossas tradições, propor iniciativas e criar oportunidades. Foi assim que aceitei o convite do Prefeito Douglas Augusto para responder por essa pasta”, diz Washington.

Do trabalho desenvolvido, cursos e capacitações vêm sendo oferecidos aos interessados através do Programa para Desenvolvimento do Turismo em Itatiba, que fomenta a potencialidade turística de Itatiba, com destaque para os Workshops, tais como Governança no Turismo, Planejamento Estratégico para o Turismo Local e Regional, Metodologia de Projetos e Marketing Turístico – Marca e Promoção, e nossa reafirmação com potencial desenvolvimento do turismo rural e consolidação como cidade dos grandes casamentos.

Segundo Washington, vem muito mais por aí. “A equipe de servidores municipais está trabalhando continuamente junto ao Conselho Municipal de Turismo (COMTUR Itatiba), e pretende anunciar em breve as novas ações diante das conquistas perante os projetos apresentados e aprovados pelo Governo do Estado de São Paulo, o qual viabilizará recursos financeiros para investimentos na cidade, com grande destaque aos investimentos no Parque da Juventude - Luiz Latorre”, afirma.

A Secretaria também é responsável pelos projetos e iniciativas culturais no município, como o Museu, Biblioteca, Arquivo Público, Conservatório, e responsável pela gestão dos Parques da Juventude - Luiz Latorre e Linear - Antônio Fattori.

O cenário artístico e cultural permite cada vez mais o acesso de novos talentos e incentiva os iniciantes. Seja através da participação nas grandes festividades da cidade, ou em eventos menores, o artista local sente-se valorizado, podendo mostrar seus trabalhos nos mais variados segmentos.

Dentre as principais atividades realizadas destaca-se o aumento do número de vagas para que nossas crianças, jovens e agora adultos possam cursar as mais diversas oficinas musicais e aulas de ballet, além de oficinas de pintura e desenho, cursos inovadores propostos pela atual gestão.

Ainda com o objetivo de preservar nossa história, iniciamos um processo de revitalização de prédios históricos, contemplando, numa primeira fase, o Solar Ferraz Costa e Conservatório.

"Aproveito o espaço para agradecer a cada servidor público com o qual tive o privilégio de trabalhar, pois com muita força de vontade, comprometimento e dedicação deram uma nova identidade ao turismo e à cultura da cidade. Agradeço ao prefeito pela oportunidade de estar à frente desses trabalhos neste período. Tenho certeza de que demos o nosso melhor, diz Washington".

A cultura e o turismo são ferramentas extremamente importantes como a educação e merecem investimentos, pois podem ser utilizados para buscar o desenvolvimento econômico, tanto no mercado de trabalho como na geração de renda.

Itatiba está atenta às oportunidades, dedicada àquilo que é momento no Estado e no país, e dessa forma entendemos estar no caminho certo, afinal, quem não valoriza e respeita o seu passado e sua história está fadado a não ter futuro.

O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência da Q Revista doando qualquer valor. Acesse:  https://apoia.se/qrevista
Os primeiros tempos
07/04/2020   Agricultura Cultura Saúde, Beleza & Bem-Estar
 Postado por:   QRevista

Itatiba: das muitas pedras à Princesa da Colina

A Equipe da Q Revista teve a oportunidade de conhecer a história da Santa Casa de perto, e como informação para a Q é muito importante, pedimos autorização de mostrar para você leitor como a Santa Casa de Itatiba começou. Mas antes disso, precisamos contar um pouco da história de Itatiba.

por Mari de Almeida / Q Revista

A fundação de Itatiba é, no mínimo, curiosa. No final do século 18, fugitivos das cidades de Atibaia e Piracaia (antiga Santo Antônio da Cachoeira), entraram mata adentro, descendo o Rio Atibaia. 

Para não serem presos pelas escoltas, embrenharam-se no sertão, criando uma pequena comunidade. As terras eram férteis, próprias para o plantio, fato que atraiu outras famílias.

Um dos primeiros a chegar por aqui foi Antônio Rodrigues da Silva, o Sargentão. Não veio sozinho: trouxe consigo uma imagem de Nossa Senhora do Belém. Em louvor a ela, ergueu uma pequena capela, em 1814, onde hoje é o bairro do Cruzeiro.

Em 1839, D. Pedro I decretou que o povoado se tornasse uma Freguesia - a Freguesia de Nossa Senhora do Belém - que caminhava a passos largos para, em 1857, passar à condição de Vila, recebendo o nome de Vila Belém de Jundiaí. 

Dezenove anos depois, a Vila foi promovida à cidade e, em 1877, recebeu o nome de Itatiba, o que na língua tupi significa “muita pedra”. 

Na segunda metade do século 19, Itatiba destacava-se como produtora de café. O consequente desenvolvimento econômico levou à construção da Companhia Itatibense de Estradas de Ferro para dar vazão à produção.

Afetada pelas crises do mercado cafeeiro, especialmente a de 1929, a cidade abriu espaço à implantação de outras indústrias, como as do ramo têxtil, de fósforos e de calçados.

Nos anos 60, com a instalação de fábricas moveleiras, voltadas ao estilo colonial, Itatiba viveu uma nova fase de expansão econômica e ganhou o título de “Capital Brasileira do Móvel Colonial”.

Hoje, compondo a Região Metropolitana de Campinas (RMC), com 120 mil habitantes (Censo IBGE – 2020), a cidade comporta uma vasta diversificação econômica, especialmente após a instalação de um moderno Distrito Industrial. 

Na área da saúde, esse desenvolvimento também é perceptível, já que a metade da população possui recursos para filiar-se aos planos de saúde. Esse cenário viabiliza um maior investimento percapita aos assistidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Mesmo com esse cenário, em franco desenvolvimento, Itatiba não abandonou a agricultura – é a primeira produtora nacional da vagem. Também faz parte do Pólo Turístico do Circuito das Frutas, como produtora de caqui.

Além da beleza natural da cidade, construída no meio de colinas, o clima de Itatiba é um dos melhores do País. Tudo isso, somado à simpatia da população, atrai pessoas de várias regiões do Brasil, que fazem da “Princesa da Colina” o seu novo lar.

Aguarde a próxima matéria, pois contaremos como a Santa Casa iniciou em Itatiba. 

| O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com a independência da Q Revista doando qualquer valor. Acesse:
|  https://apoia.se/qrevista 

Peregrinação: um ato de fé rumo a Aparecida
16/03/2020   Cultura Religião
 Postado por:   QRevista

Segundo o dicionário, peregrinação é a jornada a lugares santos ou de devoção. Porém, mais do que isso, é um ato de fé e alegria que diversos grupos católicos fazem rumo ao templo sagrado de Nossa Senhora Aparecida. Em Itatiba, esse ato acontece desde 2008 e, este ano, contou com 46 pessoas, entre caminhantes e apoio.

“A peregrinação é um ato de fé e caridade, onde muitas pessoas que fazem parte do nosso grupo fizeram promessas e querem cumpri-las. Já outros vão pelo amor e devoção a Nossa Senhora Aparecida”, afirma Luciana Marin Leite, peregrina do grupo de Itatiba. Ela também explica que o trajeto é feito pelas estradas de terra, passando pelas fazendas e pelo Vale da Mantiqueira, onde é possível refletir e orar diante a natureza.

A saída é de Itatiba, sempre na sexta-feira que antecede o dia 12, em que se comemora o dia da padroeira do Brasil. Depois, os peregrinos passam por Jarinu, Atibaia, Bom Jesus dos Perdões e Piracaia, onde fazem a primeira parada para descanso. “No domingo seguimos destino a Joanópolis, fazemos o nosso segundo pouso e em seguida partimos rumo a São Francisco Xavier, onde dormimos mais uma noite. No próximo dia vamos para Monteiro Lobato, local que marca a metade da nossa peregrinação. Fazemos uma próxima parada em Tremembé e em seguida passamos por Pindamonhangaba para mais um descanso antes de chegar em Potim, última cidade antes do destino. Depois, logo cedo partimos rumo a Aparecida, onde dormimos para descansar e assistir à missa do sábado, antes de retornar para Itatiba” conta Luciana.

Ao longo dos 7 dias de peregrinação, a reza do terço é elemento sagrado todos os dias, assim como o momento de adoração com poesias, músicas e amor. Luciana conta que existem pessoas que estão no grupo desde o início e que estão de portas abertas para quem quiser participar nos anos seguintes. “Trabalhamos no esquema de lista de espera pois muitas pessoas querem participar do nosso grupo, então fizemos algumas regras. Por exemplo, quem participa desse ano de 2019, tem lugar garantido para 2020. Entretanto, nem todos estão disponíveis na data todos os anos, o que faz com que desistam e liberem vaga para outros que estão na nossa lista de espera”, diz.

Aos que querem participar desse ato de fé, Luciana afirma que são momentos únicos e mágicos, que trazem reflexões sobre a vida com seus altos e baixos e que quem participa uma vez sempre quer voltar.

1