Encontre empresas, produtos e entretenimento


Categoria: Turismo
O que é o Tartufo?
15/10/2020   Turismo Gastronomia
 Postado por:   Alessandra Nardim

O "tartufo" (trufa) é um cogumelo subterrâneo em forma de raiz e, portanto, se acha somente em baixo da terra, geralmente localizado à 20-30 cm de profundidade. Deve, portanto, ser repertório através do cheiro intenso da maturidade. Não se acha Tartufo em qualquer terra. O tartufo vive em simbiose com certas qualidades de arvores como: o nocciolo (avelas), o pipo, quercia (carvalho), o tiglio. E' uma combinação de terra, clima e vegetação que faz com que esse cogumelo cresça embaixo da terra.

Existem dois tipos de trufas: Trufa Branca e Trufa Preta

A preciosa trufa branca (Tuber magnatum) amadurece quando a temperatura cai abaixo de 10 ° C , já a trufa preta (Tuber melanosporum) entre 20 e 10 ° C. A trufa preta é mais fácil de ser encontrada e por esse motivo o seu preço é mais baixo. A Trufa branca é mais saborosa, perfumada e de difícil disponibilidade e assim o seu preço é mais alto em comparação com a preta.

O tartufo cresce na Itália, na Região do Piemonte, na Região Le Marche, na Região Úmbria, na Região Molise, na Toscana e também em algumas áreas da Calábria. E' de grande importância conhecer a origem do tartufo. Existe também o comercio dos "falsos" tartufo.

No século XVIII, O Tartufo era considerado uma delicadeza em todas as cortes Europeias. Era uma diversão assistir a “caça” ao Tartufo. Hoje os lugares só secretos. Pedaços de terra com a presença de tartufo são mantidos secretamente e são denominados Tartufaia. Difícil achar alguém que queira compartilhar está maravilhosa e rica descoberta. Muitas são propriedades privadas.

Como se acha o Tartufo?

Junto ao melhor amigo do homem, o Cachorro! Estes animais valem mineiras de ouro. E’ fantástico… e maravilhoso pensar em todo o processo que existe atrás deste maravilhoso e raro cogumelo subterrâneo. 

E' graças ao olfato, que o cachorro (somente certos tipos de raças e com treinamento desde pequeno) acha as trufas. Farejando pelos bosques e guiado pelo seu dono, a descoberta acontece através o uso do seu olfato. Muitos caçadores preferem sair à noite para procurar as trufas, onde o cachorro é mais estimulado pelo olfato. E’ um trabalho de time, entre homem e o cachorro. Apenas o cachorro começa a escavar a terra o dono deve segura-lo para terminar o escavo com as mãos e instrumentos adequados para não arruinar o tartufo. O tartufo é delicado.

Como se come o Tartufo?

Antes de mais nada o tartufo deve ser limpado. Somente com uma escovinha elimina-se a terra. Não se lava!
O tartufo é ralado com um instrumento especial formando lascas finíssimas, que serão servidas sobre o prato principal. A massa fresca temperada na manteiga, o ovo frito ou a carne crua são as combinações melhores para experimentar essa iguaria fantástica.

Quanto custa o Tartufo?

Depende da produção, da forma, do tamanho e do perfume. No outono/inverno se o clima não for tanto chuvoso e húmido não será produtivo, então a sua produção será menor e o seu preço cresce. Quanto maior é, mais caro será, mas se for uma forma não "redonda" e cheia de pontas o seu preço cai.
O tartufo branco é o mais refinado, mais raro e mais saboroso e o melhor se encontra no Piemonte, onde moro :-) E a festa do tartufo está apenas iniciando! 

A presto e Baci!
Alessandra



“Alessandra, vive na Região do Piemonte, na Itália há mais de 20 anos.
Adquiriu experiência viajando o mundo à trabalho e continua a viajar descobrindo a autenticidade dos pequenos vilarejos, o verdadeiro tesouro da Itália.
Hoje ela realiza roteiros personalizados pelas suas
Verdes Colinas do Piemonte, onde vive.
Sempre pronta à partir, nos guiará pela Itália com paixão através os seus olhos e a sua experiência adquirida nesses anos vivendo na Itália.

 

La magia dell’Italia (A magia da Italia)
07/10/2020   Turismo
 Postado por:   Alessandra Nardim

O que fazer na Itália no mês de outubro?

A temperatura é mais fria e os dias mais curtos, mas o mês de outubro ainda é possível curtir o calor da Sicília, como as manhãs frias da Região do Trentino, que para nós brasileiros é como o inverno :-).  Tudo dependerá daquilo que se procura e quanto tempo se há a disposição para viajar.

No mês de outubro, inicia a mudança das cores das folhas, das árvores, que vão do ouro aos tons mais escuros de vermelho, oferecendo cenários e contrastes únicos. Um espetáculo natural que vale a pena uma viagem.

Esse fenômeno da mudança da natureza se chama foliage.

O que significa foliage?  É um termo em inglês que significa folhagem, embora, na realidade, seja cada vez mais usado para indicar cores outonais, uma característica de mudança na natureza que se verifica todos os anos no outono, quando as folhas das árvores mudam de cor e começam a cair.

Para poder viver ou seja apreciar o fenômeno Foliage, temos que nos distanciar das cidades, e procurar bosques, parques e áreas onde cultivam-se videiras.

Na Região do Piemonte: O Oasi Zegna, um parque natural de acesso livre estendido por cerca de 100 Km2 entre Trivero e o Vale Cervo, nos Alpes Biella no Piemonte, nasceu em 1993 como um desenvolvimento natural do “pensamento verde” de Ermenegildo Zegna.

http://www.oasizegna.com/it/

Nos territórios Langhe, Roero e Monferrato, sempre no Piemonte, nas províncias de Alessandria, Asti e Cuneo o fenômeno foliage pode ser apreciado pelas colinas repletas de vinhedos e dopo uma lunga caminhada visitar uma adega para degustar os vinhos piemonteses. E hoje, dia 10 de outubro, inicia a Feira Internacional das Trufas Brancas (tartuf bianchi) na cidade de Alba, provincia de Cuneo e dura até o mês de novembro.
E se você é curioso como eu, não perca na próxima semana a matéria sobre o "Tartufo".


Na Região do Valle d’Aosta:

Parque Nacional Gran Paradiso - Valle d'Aosta

Os bosques dos Alpes Graie no Parque Nacional Gran Paradiso mudam de cor dando vida ao fenômeno da folhagem. Quais árvores podem ser admiradas? Castanheiros, avelãs, choupos e cerejeiras de cor dourada.


Na Região da Toscana

As Florestas Casentinesi, na província de Arezzo entre final de outubro e início de novembro, é uma das mais belas experiências que você pode ter. Aqui você pode admirar as faias e carvalhos.


Mas se o teu papo é outro, as temperaturas de outubro em Palermo, na Sicília são realmente convidativas: no máximo 23 ° C e no mínimo 18 ° C, e lembrando que Palermo é a capital do Street Food, o que pode ser a combinação perfeita para uma próxima viagem.

E a outra alternativa é viajar através a procura de arte. A Itália é um dos países com mais concentração de arte do mundo e o que não falta são lugares para visitar. E nada melhor que fugir das temperaturas frias e mergulhar em um tour de beleza artística.

Firenze, que para a Unesco, é a cidade “símbolo do Renascimento”. O próprio nome do Renascimento deve suas origens a um artista e estudioso que teve uma ligação intensa com Florença, que Giorgio Vasari, criador dos Uffizi, hoje o museu de arte mais visitado da Itália.

Torino, denominada a pequena Paris. Foi a capital do Reino Savoia, quando na Itália existia a monarquia. Palácios, cafés e vilas luxuosas são testemunhas de um importante pedaço da história da Itália. E hoje são todas visitáveis.

Urbino, na Região Le Marche, a cidade de Raffaello Sanzio (nasceu il 28 março de 1483) um dos melhores pintores junto a Leonardo da Vinci. Aqui vive um pedaço da história da arte mundial e visitar essa cidade é entender o que Urbino representou para a arte italiana e mundial. 

Milano, na Região da Lombardia. Não é ao conhecimentos de muitos, mas a obra “A última Ceia” de Leonardo da Vinci, encontra-se na cidade mais cosmopolita da Itália, em Milão.
Na igreja
Santa Maria delle Grazie encontra-se uma das obras mais importante do mundo. E' necessário fazer reserva com larga antecedência para poder apreciar. Eu conselho a visita com guia, pois vale a pena.

Essa é a magia da Itália! Em um único lugar é possível ter acesso à beleza, história, arte, cultura, vinho, comida e natureza. 
Tem alguma dúvida?

Baci e Abbracci
Alessandra 


“Alessandra, vive na Região do Piemonte, na Itália há mais de 20 anos.
Adquiriu experiência viajando o mundo à trabalho e continua a viajar descobrindo a autenticidade dos pequenos vilarejos,
o verdadeiro tesouro da Itália. Hoje ela realiza roteiros personalizados pelas suas
Verdes Colinas do Piemonte, onde vive.
Sempre pronta à partir, nos guiará pela Itália com paixão através os seus olhos e a sua experiência adquirida nesses anos vivendo na Itália.

Un caffè per favore (um café por favor)
02/10/2020   Turismo
 Postado por:   Alessandra Nardim

Como pedir um café na Itália?

E’ um espetáculo assistir e ouvir os pedidos dos italianos em uma cafeteria, sobretudo na hora do rush, antes de ir ao trabalho.
E’ algo de fantástico! E’ cinema grátis!

Vocês assistiram ao filme com a atriz Julia Roberts, Eat, Pray, Love , onde ela aparece em uma cafeteria italiana tentando pedir um café?

Então, é bem isso e não é absolutamente exagerado. E’ uma experiência “social” que todos deveriam viver. Deveria ser incluído nos roteiros de viagem; passar uma manhã na cafeteria para observar os italianos e seus cafés. :-)

Depois da água, é o mais bem consumido do mundo. Está presente na vida de todos, tanto quanto é dedicado a um dia: no dia 2 de outubro, aliás, o Dia Internacional do Café é comemorado em todo o mundo.

O momento do café na Itália é um hábito maravilhoso. O café é a desculpa melhor para fazer uma pausa do trabalho, para rever um amigo, para ler um jornal, para simplesmente poder observar o ritmo das pessoas que vão e vem.   

O café é também a primeira aproximação a qualquer tipo de relação, os primeiros momentos em que estudamos, trocamos opiniões, nos revelamos.



Prendiamoci un caffè” è un modo di dire vediamoci, stiamo un po’ di tempo (quel che è necessario ma non troppo) insieme.

Quando se usa a expressao “Prendiamoci un caffè: vamos tomar um café, è uma maneira para dizer, estamos um pouco juntos, o necessário, mas não muito. kkkkkkkk


Muitos brasileiros que viajam pela Itália, reclamam do café italiano, pois é um café forte para o nosso paladar e muito marcante.
Eu, quando chego ao Brasil, não consigo mais tomar café fora de casa, pois é um café sem sabor.
E é, realmente um pecado, pois, o Brasil produz um dos melhores cafés do mundo. 

Onde se toma o melhor café na Itália?

E’ na cidade de Nápoles que se bebe o melhor café italiano. Existe próprio um rito.
A xícara deve estar sempre quente, quase escaldante porque o café napolitano, como a pizza, tem poucos momentos de vida e a queda da temperatura o estraga irreparavelmente até se tornar algo intragável se frio.

Os bares são sempre perfeitamente organizados: Há aquele que fazem somente o café e ficam perto da máquina do café e aqueles no balcão. Nunca vai acontecer que quem faz o café deixe as gotas caírem na xícara fazendo outra coisa.
Outra grande diferença entre Nápoles e o resto da Itália é que será sempre servido a de água junto ao café, geralmente com gás. Isso também é automático, óbvio, nunca será necessário pedir, mesmo que esteja no bar mais movimentado de Nápoles, na hora do rush.


A lista dos cafés na Itália:  

Caffé

Caffè ristretto (cafe curto)    

Caffè lungo in tazza grande (café longo na xicara grande)

Caffè americano (café con agua quente separada) è o mais parecido com o paladar do brasileiro.

Caffe? corretto café com grappa - destilado de uva)

Caffe? deca (café descafeinado)

Caffe? d?orzo in tazza piccola, in tazza grande.. (café de cevada na xicara pequena ou em xicara grande)

Caffe? d'orzo con l?acqua calda a parte (café de cevada com agua quente separada)

Caffe? freddo (café frio)

Caffe? shakerato (café batido com liquor)

Caffè con latte (café con leite)

Caffè marocchino (café com pouco leite e chocolate em pò em cima)

...e ainda todos os cappuccini

cappuccino scuro - Cappuccino escuro (mais cafe)

cappuccino chiaro - Cappuccino claro (menos cafe)

cappuccino deca - Cappuccino descafeinado 

cappuccino con caffe? freddo e latte freddo... 

e posso continuar…

O que voce acha? Prendiamoci un caffe?

A presto
Baci e Abbracci


“Alessandra, vive na Região do Piemonte, na Itália há mais de 20 anos.
Adquiriu experiência viajando o mundo à trabalho e continua a viajar descobrindo a autenticidade dos pequenos vilarejos, o verdadeiro tesouro da Itália.
Hoje, ela realiza roteiros personalizados pelas suas
Verdes Colinas do Piemonte, onde vive.
Sempre pronta à partir, nos guiará pela Itália com paixão através os seus olhos e a sua experiência adquirida nesses anos vivendo na Itália.

Quem não gosta de um bom prato de macarrão?
26/09/2020   Turismo
 Postado por:   Alessandra Nardim

Água e farinha.  Estes são os ingredientes básicos de um dos alimentos mais amados do mundo: as massas, sim senhor!
Não é incrível pensar que com somente dois ingredientes: a agua e farinha combinadas, nasce um dos alimentos mais amados no mundo?

As primeiras evidências sobre a pasta partem  do século IV AC. A mesma receita que também conquistou a Roma de Cícero que fala de "laganum" nas folhas de massas ancestrais da atual  massa chamada "tagliatelle".

Hoje, existem mais de 300 tipos de massas consumidas na Itália e podem ser classificadas como massas secas e frescas (inteiras ou furadas), cortadas, finas, lisas, listradas. 

Isso quer dizer, que poderíamos comer, quase todos os dias, um tipo diferente de massa por ano!

É um alimento neutro e, portanto, é perfeito para estimular a criatividade na cozinha, pois pode acompanhar um número infinito de "temperos", ou seja, molho quente ou frio, saudável ou leve, vegetal ou com carne, de acordo com a imaginação, as estações e o desejo do momento. 

O segredo de um prato de macarrão está no seu cozimento. Deve ser "al dente" (E' uma regra). Ou seja quando você experimentar, você deve sentir a massa nos dentes. Não pode e não deve ser mole!
A propósito, se o macarrão cozinhar mais do que os minutos indicado nas embalagens, a massa absorve muita água e fica difícil de digerir.

Por favor, o macarrão não se cozinha na panela de pressão!

Para fazer um simples prato de macarrão è necessário seguir alguns passos:

1- Em uma grande panela colocar água e levar ao fogo.
2- Quando a agua iniciar a ferver, colocar o sal grosso e a pasta seca.

3- Apenas colocada a pasta na agua, dar uma mexida com a espumadeira.

4- Respeitar e seguir os minutos indicado na embalagem. (dos 9 minutos aos 14 minutos dependendo do tipo de massa).
5- Passaram os minutos necessários do cozimento, tirar do fogo e escoar o macarrão da agua.

Tempere com o molho da sua preferência, mas atenção: A massa não pode "afogar-se" no molho.... se chama "pastasciutta" ou seja pasta asciutta, que significa pasta enxuta e portanto não é a quantidade de molho que indica um bom prato de macarrão, mas está na combinação de simples alimentos.

Experimente temperar o macarrão (melhor de formato curto e não espaguete) somente com azeite de oliva (aquele bom e não óleo de cozinha) e queijo ralado. E' perfeito, saudável e não engorda.

O segredo da cozinha italiana está na qualidade dos ingredientes e poucos.

É superficial identificar a Itália apenas com espaguete e vongole, ou cannellone e lasanha.
Seria um insulto à imensa variedade da culinária italiana pensar que na Itália existem somente três tipos de massas.

Baci e Abbracci 


"Alessandra, vive na Região do Piemonte, na Itália há mais de 20 anos.
Adquiriu experiência viajando o mundo à trabalho e continua a viajar descobrindo a autenticidade dos pequenos vilarejos, o verdadeiro tesouro da Itália.
Hoje ela realiza roteiros personalizados pelas suas
Verdes Colinas do Piemonte, onde vive.
Sempre pronta à partir, nos guiará pela Itália com paixão através os seus olhos e a sua experiência adquirida nesses anos vivendo na Itália.

Le cinque terre (As cinco terras)
18/09/2020   Turismo
 Postado por:   Alessandra Nardim

Qual è o significado da expressao: La dolce vita?

O clima temperado deste país, a boa vida, a boa cozinha, o bom vinho, a variedade de paisagens naturais, a grande riqueza artística, a música, a história e sobretudo a tranquilidade,  fazem com que este paìs seja único! A expressão “Dolce vita” nasce da soma dessas características, de saber colher a vida com calma degustando um copo de vinho apreciando uma paisagem sem preocupaçao com a pressa..

Garanto que a pressa dos italianos è muito diferente da pressa dos brasileiros:-).

Um dos guias de turismo mais sério e famoso no mundo, Lonely Planet há 24 publicações sobre a Itália, e desse número è possível entender o quanto este país tem para oferecer, começando pelo número de sítios com reconhecimentos do Património Mundial Unesco. Atualmente a Itália e China são as nações que detêm o maior número de sítios incluídos na lista de patrimônios mundiais: 55 sítios.

Para a Itália, destes 55 sítios, 5 são sítios naturais (Ilhas Eólias, Monte San Giorgio, Dolomites, Monte Etna, Antigas florestas primitivas de faias dos Cárpatos e outras regiões da Europa) e, dentro dos restantes 50 sítios de património Mundo, 8 são paisagens culturais: Costa Amalfitana, Portovenere, Cinque Terre e Ilhas (Palmaria, Tino e Tinetto), Parque Nacional Cilento e Vallo di Diano, com os sítios arqueológicos de Paestum, Velia e Certosa di Padova, Sacro Monte del Piemonte e Lombardia, Val d'Orcia, vilas e jardins de Medici na Toscana, paisagens vinícolas de Piemonte: Langhe-Roero e Monferrato (onde moro), As colinas Prosecco de Conegliano e Valdobbiadene.

Hoje vamos descobrir as maravilhosas terras chamadas  “Le cinque Terre”.
São cinco vilarejos que encontram-se no Parco Nazionale Cinque Terre na Região da Ligúria, reconhecidos pelo Patrimônio Mundial Unesco desde 1997.
Os cinco vilarejos sao Monterosso - Vernazza - Corniglia - Manarola - Riomaggiore.

E' possível conhecer as 5 terras a pè, de trem e de barco.
Os vilarejos são ligados pelas linhas de trem ou pelas trilhas que percorrem entre um vilarejo ao outro.

Para percorrer as trilhas das "Cinque Terre" è necessário consultar as informações do parque, pois ocorrem constantes mudanças por excesso de turistas...e por ser uma terra extremamente frágil muitas vezes as trilhas são fechadas para a segurança de todos. E’ necessario estra bem preparado fisicamente, tenis e roupas confortáveis. Aqui a coisa è seria e posso confirmar pois já percorri uma das várias trilhas por essa costa marítima.
Durante séculos, os caminhos das “Cinque Terre” foram a única ligação entre um vilarejo e outro. Hoje a rede que se estende por mais de 120 quilômetros permite apreciar e visitar todo o território, por caminhos de diferentes tipos. Por isso, a caminhada nas trilhas do
Parque Nacional de Cinque Terre deve ser realizada sempre com bom tempo, com calçado adequado e por pessoas com boas práticas de caminhada. No site Parque Nazionale Le Cinque Terre se posso ter todas as informações e atè a app dedicada a todas as trilhas.

5 coisas que vc deve fazer nas 5 terre:

-         Degustar um copo do vinho produzido nessas colinas, chamado Sciacchetrà. Produzir esse vinho comporta trabalho delicado e lungo por isto a sua produção è rara. Os bagaços são colhidos em outubro deixados à secar ao sol até novembro e são então descascadas à mão para selecionar apenas o melhor - e uma qualidade muito alta garantida pela Denominação de Origem Controlada (DOC desde 1973), o Sciacchetrà é um produto muito refinado que pode evoluir por dez, vinte e até trinta anos.

-         Comer a “pasta con il pesto”. Essa è a patria do pesto. O pesto è o creme feito com manjericão, pinoli, queijo ralado e azeite. Aqui cresce o melhor manjericão para preparar esse creme perfumado de Liguria. Absolutamente acompanhado com um bom vinho branco do território, Pigato.

-          Visitar as cinco terras de barco é certamente uma das formas mais românticas para sentir essa terra frágil e esplendida. Os principais pontos de embarque são a cidade de Levanto, Portovenere, Lerici e La Spezia. Durante o verão, as saídas para as “Cinque Terre” e Portovenere também acontecem em Viareggio, Forte dei Marmi, Marina di Massa e Marina di Carrara. Você pode escolher entre uma viagem de um dia com uma parada pelos vilarejos (exceto Corniglia) ou uma excursão à tarde com uma parada de uma hora em Vernazza ou Monterosso e retornar a Portovenere ou La Spezia à noite, essa opção é para quem escolhe a viagem de um dia dormindo fora das 5 terre. www.navigazionegolfodeipoeti.it.

-          Escolher um restaurante com vista espetacular como esse no vilarejo de Vernazza http://www.ristorantebelforte.it/

-          E experimentar a típica farinata (creme de grãos de bico cozido no forno) e o pão frito, no Frantoio (via Gioberti 1) no vilarejo Monterosso.

A presto e Baci!
Alessandra

 

“Alessandra, vive na Regiao do Piemonte, na Italia ha mais de 20 anos.
Adquiriu experiência viajando o mundo à trabalho e continua a viajar descobrindo a autenticidade dos pequenos vilarejos, o verdadeiro tesouro da Itália.
Hoje ela realiza roteiros personalizados pelas suas
Verdes Colinas do Piemonte, onde vive.
Sempre pronta à partir, nos guiará pela Itália com paixão através os seus olhos e a sua experiência adquirida nesses anos vivendo na Itália.

Ben arrivato Settembre!
12/09/2020   Turismo
 Postado por:   Alessandra Nardim

 

Adoro o mês de setembro na Italia, porque, traz mudanças, preanuncia o inverno trazendo novas festas, novas cores, iguarias para novas receitas, e nos prepara para novas descobertas.

O mês de setembro, na Italia há tantos significados: retorno ao trabalho, início de aulas e início da vindima (colheita da uva).
Do norte ao sul da Itália o trabalho é intenso pelos vinhedos.
Cada colheita é diferente da anterior a causa do amadurecimento das uvas, acidez e teor alcoólico. Escolher o momento certo para a colheita de uvas é essencial.

É o momento mais esperado; A videira é uma planta que deve ser seguida em todas as suas fases, desde o despertar até o amadurecimento das uvas. A qualquer momento existe o risco de que algum fenômeno meteorológico ou biológico possa comprometer a cultura ou a própria planta. A colheita geralmente ocorre durante as horas mais frescas do dia, mas alguns preferem fazer isso à noite, de modo que o calor não inicia uma série de reações químicas indesejáveis.

E’ tambem um otimo momento para visitar as Vinícolas, e poder descobrir de perto o duro e belo trabalho que está atrás da realização dessa bebida fantástica.

Do norte a sul pela Italia,  è possível encontrar uma vinha à sua espera com iniciativas que transformam a vindima em uma experiência envolvente para os nossos cincos sentidos. Que seja somente um agradável passeio no jardim de um castelo, a um giro em moutain bike, a pé ou, um pic nic entre os vinhedos esse momento è único na Itália.

A Itália é o país com maior diversidade vinícola. Não só o número superior a qualquer outro país de vinhos DOP (denominação de origem protegida) e IGP (indicação de origem protegida) (mais de 520 no total), mas também o fato de que 75% de sua área de cultivaçao (690.000 hectares no total, dos quais 660.000 para uvas viníferas) , ed) é composta pelas 80 vinhas mais cultivadas. Uma enormidade, comparando com pouco menos de 40 em Portugal e pouco mais de 30 na Roménia, seguindo a Itália neste ranking particular, elaborado pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho. (fonte-winenews)

Aqui vao algumas dicas:

Onde nasce o vinho Gewürztraminer, em Bolzano, Regiao do Trentino, um giro em Jeep pelos vinhedos para viver uma experiência inesquecível.

Na cidade de Piacenza, Regiao da Lombardia, No Castelo Gropparello, todos os domingos de setembro, as crianças são os protagonistas da Festa da Uva que entre um trekking, bike tour e pic-nic a diversão nao faltarà.

No Piemonte, onde nasce o vinho Barolo, chamado como o rei dos vinhos, è possível descobrir as vinícolas em cima de uma vespa, ou em um giro de balão apreciando a beleza dessas Verdes Colinas, Património Mundial Unesco, da uma vista panorâmica unica.

Do dia 5 de setembro a 11 de outubro de 2020,  o evento “Cantine Aperte in Vendemmia” è uma otima guia para descobrir as Vinicolas em todo o territorio italiano, e poder assim incluir no seu roteiro experiencias ligadas ao vinho.

No Monferrato, entre um pic-nic e um copo de vinho è possível participar da colheita demonstrativa, e conhecer todo o processo de vinificação ou ainda descobrir o percurso sensorial dentro de uma Destilaria de Grappa.

Na Região da Campania, onde se encontra a tão amada cidade de Positano, Sorrento, a festa da vindima è uma atividade para toda a familia.

Na Região de Lazio, a 20 km de Roma, fica a vinícola familiar Donnardea e aqui que comanda são os pequenos.

Descobrir e viver essa experiência faz com que você entre em contato com as pessoas locais, descobre que a riqueza desse país também está nas pessoas que cotidianamente de gerações à gerações produzem vinhos não somente pelo guadagno, mas pelo amor ao próprio território.

“Alessandra, vive na Regiao do Piemonte, na Italia ha mais de 20 anos.
Adquiriu experiência viajando no exterior à trabalho e continua a viajar descobrindo ainda hoje belezas por essa Italia.
Hoje ela realiza roteiros personalizados pelas suas verdes colinas, onde vive.
Sempre pronta à partir, nos guiará pela Itália com paixão através os seus olhos e a sua experiência adquirida esses anos vivendo na Italia.

https://www.verdescolinas.com

 

1